Resistência da natureza: “Sobrevida”

Seja entre as frestas do concreto das grandes cidades ou plena em seus ecossistemas preservados, a natureza resiste. Para refletir sobre a domesticação da natureza, Patricia Gouvêa apresenta a mostra “Sobrevida” na galeria Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Abertura acontece na quarta-feira, 9 de maio, às 19h.

A exposição reúne uma série inédita com 16 trabalhos em fotografia e dois em vídeo. As imagens foram realizadas em grandes cidades como Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Fort Lauderdale, e também na Amazônia. As locações foram: a Reserva Adolpho Ducke do INPA (Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas); o Parque Nacional de Anavilhanas; e a cidade de Presidente Figueiredo.

O texto de apresentação da exposição é assinado pelo físico Luiz Alberto Oliveira, curador geral do Museu do Amanhã. Foi ele quem inspirou esta pesquisa que a artista desenvolve há anos sobre paisagem, natureza e sua relação com o tempo.

A exposição é resultado desse extenso trabalho e teve parte significativa das obras realizada durante a residência LABVERDE, em que Patricia fez uma imersão de dez dias na Amazônia. A montagem integra o interior e o exterior da galeria, em um trecho remanescente da Mata Atlântica.

“Sobrevida é uma pequena interrogação sobre as possíveis pontes entre arte, ciência e ativismo político e uma reflexão sobre a artificialização e coisificação crescente da natureza em meio a um cenário de destruição ambiental, aquecimento global, escassez de água e desrespeito aos direitos humanos”, conta Patricia.

Os trabalhos reunidos na exposição foram feitos entre 2017 e 2018. À Amazônia, foram duas viagens em períodos bem distintos: de cheia, e baixa, do Rio Negro, e visitas a locais como a cidade de Presidente Figueiredo, com suas 67 cachoeiras belíssimas situadas muito próximas à Hidrelétrica de Balbina, considerada um crime ambiental.

A exposição vai até o dia 9 de junho. A Mercedes Viegas Arte Contemporânea fica na Rua João Borges 86 – Gávea. Funcionamento: de segunda a sexta de 12h às 20h e sábados das 15h às 19h. Entrada gratuita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *