Refletindo sobre o ato de aprender

Fim de semestre. Vejo a passagem do tempo pelos filhos que agora trocam de série. Apesar de dezembro, os novos caminhos que se abrem estão mais para um início de ciclo (como metas de janeiro antecipadas se realizando) que um período que se encerra. Por isso então usar este espaço aqui para falar de educação, evolução e transformação. O aprender é diário e estamos sempre mudando.

REFLETINDO ​SOBRE ​O ​ATO ​DE ​APRENDER

Paulo ​Freire

Aprender ​não ​é ​dar ​por ​consumada ​uma ​busca
Aprender ​não ​é ​acumular ​certezas
Nem ​estar ​fechado ​em ​respostas
Aprender ​é ​incorporar ​a ​dúvida
E ​estar ​aberto ​a ​múltiplos ​encontros
Aprender ​não ​é ​ter ​aprendido
Aprender ​não ​é ​nunca ​um ​verbo ​do ​passado
Aprender ​não ​é ​um ​ato ​findo

Aprender ​é ​um ​exercício ​constante ​de ​renovação
Aprender ​é ​sentir-se ​humildemente ​sabedor ​de ​seus ​limites, ​mas ​com ​a ​coragem ​de ​não ​recuar diante ​dos ​desafios
Aprender ​é ​debruçar-se ​com ​curiosidade ​sobre ​a ​realidade
É ​reinventá-la ​com ​soltura ​dentro ​de ​si
Aprender ​é ​conceder ​lugar ​a ​tudo ​e ​a ​todos
E ​recriar ​o ​próprio ​espaço

Aprender ​é ​reconhecer ​em ​si ​e ​nos ​outros ​o ​direito ​de ​ser ​dentro ​de ​inevitáveis ​repetições
porque ​aprender ​é ​caminhar ​com ​seus ​pés ​um ​caminho ​já ​traçado
É ​descobrir ​de ​repente ​uma ​pequena ​flor ​inesperada
É ​aprender ​também ​novos ​rumos ​onde ​parecia ​morrer ​a ​esperança
Aprender ​é ​construir ​e ​reconstruir ​pacientemente
Uma ​obra ​que ​não ​será ​definitiva ​porque ​o ​humano ​é ​transitório
Aprender ​não ​é ​conquistar ​nem apoderar-se, ​mas ​peregrinar
Aprender ​é ​estar ​sempre ​caminhando, ​não ​é ​reter, ​mas ​comungar.
Tem ​que ​ser ​um ​ato ​de ​amor ​para ​não ​ser ​um ​ato ​vazio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *