Música: Redescobrindo o Brasil (parte 1)

Por: Alexandre Paulino

Gostar e escutar música – conscientemente, comprando meus primeiros vinis, se é que me faço entender – é algo que trago comigo desde meus 12, 13 anos de idade. O que isso representa(?) eu não faço ideia exata, mas aos 42 anos de idade, alguns anos atuando também como DJ – mais um selector eu diria – posso garantir que esses por esses ouvidos já passaram sons diversos, de qualidade idem, em diferentes fases, momentos da vida… daí a ideia de compartilhar um tanto disso.

Enfim, voltando ao título do texto, já tem um tempo que venho conhecendo, a partir de pesquisas na web, blogs, podcasts, shows e dicas de amigos, algumas bandas nacionais beeeeeeeeeem legais algumas com bastante tempo de estrada, mas que simplesmente ignorava)…daí a razão da escolha e divisão por partes indefinidas – tem bastante nomes.

Sendo assim, em função de estarmos no mês de março, o qual se comemora o dia internacional da mulher (viva elas!) eu apresentarei alguns nomes que considero valer a pena conhecer. Hoje são duas:

>>> Aline Lessa

Lançado em 2017, o álbum ‘Hoje falo por mim’, de onde saíram as duas músicas mencionadas, é o mais recente trabalho da cantora, compositora e instrumentista carioca. Tendo iniciado a carreira em 2008, como tecladista da banda ‘Tipo Uísque’, em 2014 Aline Lessa partiu para carreira solo. Não me aprofundei nos trabalhos anteriores, mas do disco em questão, de um total de 10 músicas, as duas compartilhadas me chamaram mais atenção. Dentre as demais, maior parte mais lentas, bem arranjadas e com uma excelente voz, ainda destacaria ‘Muito barulho por nada’ e também ‘O seu amor’.

Se for do Rio ou estiver pela cidade, vale dar uma conferida pessoalmente. A cantora se apresenta no palco alternativo do Audio Rebel, pela primeira vez ao lado do cantor paraibano Seu Pereira. Show dia 22 de março (quinta-feira), às 20h. Os ingressos custam 20 reais e a classificação etária é de 16 anos. Endereço: Rua Visconde de Silva, 55 – Botafogo.

 

>>> Nana

Também lançado em 2017, fiquei amarradão ao conhecer o disco “CMG-NGM- PDE”, segundo trabalho da cantora e compositora Nana. Seu primeiro trabalho data de 2013, e traz uma pegada indie, bem pop, meio teen. O som é extremamente agradável, a voz é uma delícia de ouvir (me fez pensar em algodão doce). Com bons arranjos, misturando diferentes sonoridades, oferece ao ouvinte uma experiência no mínimo de leveza…

Músicas que causam sorrisos espontâneos e lembranças meigas, naquele esquema de ouvir no repeat. Em termos de referências, me lembrou Metronomy, Wolf Alice, Beirut, Plutão já foi Planeta e olha que bacana, Novos Baianos.

Além das músicas mencionadas, ainda tem aí mais umas outras bem legais como ‘Menino carioca’, ‘Caoutchouc’ com participação do músico Felipe S. (Mombojó), ‘Rua Payssandu’ e também ‘Bomba’…vale investir um tempo para conhecer mais. Satisfação garantida!

É isso…por hoje é só. Espero que gostem!

One thought on “Música: Redescobrindo o Brasil (parte 1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *