Carla Chaim: óleo fita carbono

A partir do espaço da galeria Athena Contemporânea, a artista visual Carla Chaim desenvolveu a individual “Óleo fita carbono”, com abertura na noite de 21 de novembro. As obras buscam ultrapassar os limites da concepção tradicional de desenho, explorando-o como pensamento.

A exposição exibe uma videoinstalação, composta de dois trabalhos, em que a artista usa o próprio corpo como ferramenta para o desenho. E ainda, desenhos-objetos, feitos em papel-carbono a partir da arquitetura do espaço.

A ideia da mostra parte de uma pesquisa recente da artista, iniciada em 2015, em que ela usa o espaço expositivo como matéria-prima para as obras. A planta da galeria chamou a atenção da artista por ter a forma de U, com dois lados separados e iguais no tamanho. A partir disso, ela criou desenhos-objetos, intitulados “Desenhos falsos”, foram feitos com várias camadas de papéis-carbono recortados nesse formato.

“Penso o desenho não como linha, mas como forma, como pensamento. É o mesmo processo do desenho, é um esboço, um exercício de pensamento”, conta a artista. “Trata-se de uma exposição basicamente em preto-e- branco e que se utiliza de uma das linguagens mais tradicionais da história da arte, porém de uma maneira mais experimental onde noções de controle e acaso se chocam”, explica o curador Raphael Fonseca.

Para a videoinstalação, ela percorreu todo o espaço da galeria, com um bastão oleoso na mão, riscando as paredes por onde passava, fazendo com o seu próprio corpo o desenho do U. Em cada uma das salas havia uma câmera, que registrou a ação. O desenho foi apagado em seguida e na mostra será apresentado apenas o registro em vídeo.

Os filmes das duas salas serão colocados “um de costas para o outro”. Para vê-los, será necessário circular as imagens, fazendo também um movimento com o corpo, assim como o que foi feito pela artista. “O espectador tem parte no trabalho, dando a volta nas projeções para compreender o todo. É um labirinto cíclico”, diz a
artista.

A artista usa o próprio corpo como uma ferramenta de trabalho, pensando-o também como um lugar de discussão conceitual, explorando seus limites físicos e sociais. “Uso o espaço e o movimento do corpo para imprimir um desenho, que é o próprio movimento em si”, ressalta Carla Chaim, que diz que os trabalhos não tentam criar narrativas ou contar histórias, eles são o próprio fazer. “O mais importante é o processo, os trabalhos não
são pensados para ter uma forma final, isso vai depender do processo de execução”.

A Galeria Athena Contemporânea fica no Shopping Cassino Atlântico (Avenida Atlântica, 4240 – 210/211 – Copacabana). Funcionamento: de segunda a sexta, das 11h às 19h. Sábado, das 12h às 18h. Entrada gratuita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *